quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Quem quer ser Astrólogo?...


Pois esta é a altura certa para lançar um novo concurso na TV Nacional.
Convidam um notável, eventualmente aproveitado do "Grande Reportagem" ou do "Só visto!"...
A concurso vão 3 ou 4 astrólogos firmados, com site próprio ou coluna num jornal, mas também aspirantes a astrólogos famosos.
Cada um faz o mapa astral, lança cartas de um qualquer baralho, apresenta prognósticos para 2009.
Ganha quem o convidado tiver ficado mais convencido que aquele é o seu destino.
Que dizem?

terça-feira, 30 de dezembro de 2008

segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

É Portuguesa!

A pessoa mais velha do mundo é portuguesa! Tem 115 anos e 109 dias e chama-se Maria de Jesus. Nasceu em Ourém a 10 de Setembro de 1893, casou em 1919, enviuvou em 1951 e teve 5 filhos, 11 netos, 16 bisnetos e 6 trinetos. É caso para dizer que foi abençoada! Podem ler a notícia relacionada aqui e informação sobre as pessoas que mais tempo viveram aqui.

quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

Talvez a primeira prenda deste ano...

...tenha sido dar-me a mim mesmo um bilhete para "Ensaio sobre a cegueira".
Porquê?
Porque me pôs a pensar em tudo o que tomamos por garantido, e em como tudo se desmorona quando um dos seus pilares - neste caso a visão (grande eufemismo, tio José!) - cai.
Pensar nisto, em plena época natalícia, nos moldes que a mesma se apresenta hoje em dia, é no mínimo pertinente!

sábado, 20 de dezembro de 2008

Bom Natal

video

e um xi coração, ou melhor, um monte deles...

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Google sabe...

Hoje, um pouco por acaso, fiz uma experiência que me surpreendeu deveras.
Para majorar essa surpresa, entrem no famoso site de pesquisas, introduzam a palavra "Lisboa" e em seguida cliquem no botão "sinto-me com sorte".
Pois, o resultado não é surpreendente.

Agora voltem atrás, substituam pela palavra "Porto" e depois venham cá dizer qualquer coisa...

domingo, 14 de dezembro de 2008

PeterCaféSport no Porto


Abriu um sitio que faltava no Porto. Um sitio que está aberto de manhã até à noite (pelo menos até as onze) todos os dias sem excepção, onde tem tostas mistas do tamanho de pizzas pequenas, onde pela primeira vez gostei do gin tónico (as duas especialidades da casa mãe, no Faial), num local que parece que saiu de moda mas importa re-aprender a amar : a Ribeira portuense (logo ao lado do D. Tonho).

Bute dar lá um salto?

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

uma das coisas fixes deste meu novo portatil...

... é que, sendo do tamanho de um livro, cabe naquele sítio da cozinha onde colocaria o livro de receitas. Com a diferença que, em vez das x receitas desse livro, tem-se acesso a tantas receitas quantas a internet comportar :)

E já que o portátil cabe na cozinha, e todo um mundo de canais televisivos são passiveis de aceder via net, para quê esperar pelo final do jogo de futebol para começar a cozinhar? :))

(Ooops, de repente senti que muitos homens me chamarão de traidor à espécie, por ter dado cabo do alibí que tanto os tem auxiliado a manterem-se afastados da cozinha....... azarito! )

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Dá sol no cemitério...

Não é de agora que tenho uma visão desapaixonada dos Cemitérios. Não acho que seja guardando os seus restos mortais num caixão todo pipi que se vai respeitar mais ou menos um ente querido que faleceu. Tudo se processa dentro da nossa mente. Os restos mortais podem perfeitamente ser reduzidos a cinzas, que por sua vez pode adubar um vaso ou um jardim.
Mesmo assim, foi preciso alguns segundos de reflexão para assimilar o que acabei de ler. Uma autarquia dos subúrbios de Barcelona, fez um contrato com uma companhia de aproveitamento energético no sentido de fazerem um parque fotovoltaico em pleno cemitério!!!

Tiveram alguma sensibilidade, ao colocarem os paineis nos telhados das jazigas apenas. Mas mesmo assim, estou curioso se esta ideia terá replica em Portugal...

domingo, 23 de novembro de 2008

Agora ando a 1000h !....

Quem não tenha tido o azar de receber num power-point com música e fundos-de-ecrã tão pirosos que fechou logo sem ler, já terá recebido um conto antigo chinês onde se conclui que um evento não é necessáriamente bom ou mau, podendo uma coisa aparentemente desastrosa ser, a seu tempo ou visto de outro prisma, algo completamente frutuoso na nossa vida. O equivalente chinês do mui católico "Deus escreve certo por linhas tortas".
Quando comprei o meu primeiro portátil, procurava sobretudo algo económico, com boa autonomia mas sobretudo handy, prescindindo da velocidade da luz de processamento. Dado o orçamento, o melhor que consegui foi um com 14", 1.9k e 2h30 de autonomia.

Quando comecei a ver chegar portáteis com as características que procurava, desde o OLPC mas mais ainda o projecto EEE da Asus, sentia alguma "comichão" porque objectivamente era um capricho comprar um bichinho destes quando o meu executava os seus propósitos de forma perfeitamente digna.
Há 15 dias, o meu Lifebook teve que dar entrada de urgência no Hospital. O diagnostico foi que precisaria de um transplante de medúla (leia-se: motherboard nova)!!! Eu que até não me oponho à eutanásia, preparo-me para reutilizar as partes aproveitaveis e "fechar os olhos" a este meu fiel companheiro.

Ou seja, algo aparentemente mau (um rombo no orçamento do Natal...), no fundo veio propiciar momentos de grande exaltação com a compra do que desejava!

Chama-se precisamente EEE 1000H, da Asus, em rapidez é pouco melhor do que o anterior, mas tem monitor de10", 1.4k, 26.5cms de comprimento e mais de 6 horas de autonomia anunciada(!!!) por metade do preço do anterior...


Não, a menina não veio incluída.....

terça-feira, 4 de novembro de 2008

New York, New York (4)




22klaudia, 2008
Traffic signals in New York are just rough guidelines.
David Letterman, anfitrião do Late Show

sábado, 1 de novembro de 2008

no dia dos avós


In http://www.simplesmentebeijaflor.com/maos_da_minha_avo.html


O dia de Fiéis é aquele dia definido pelo calendário em que se recordam os (nossos) mortos.
Para quem tem sorte, e é o meu caso, são os avós.

Definição de Avó (segundo uma menina de 8 anos, publicado no Jornal do Cartaxo)

'Uma Avó é uma mulher que não tem filhos, por isso gosta dos filhos dos outros. As Avós não têm nada para fazer, é só estarem ali. Quando nos levam a passear, andam devagar e não pisam as flores bonitas nem as lagartas. Nunca dizem 'Despacha-te!'. Normalmente são gordas, mas mesmo assim conseguem apertar-nos os sapatos. Sabem sempre que a gente quer mais uma fatia de bolo ou uma fatia maior. As Avós usam óculos e às vezes até conseguem tirar os dentes. Quando nos contam historias, nunca saltam bocados e nunca se importam de contar a mesma história várias vezes. As Avós são as únicas pessoas grandes que têm sempre tempo. Não são tão fracas como dizem, apesar de morrerem mais vezes do que nós.
Toda a gente deve fazer o possível por ter uma Avó, sobretudo se não tiver Televisão'.

Assustador? Julguem vocês...

O Rolls-Royce Phantom 1 Jonckheere Coupé de 1925 foi votado pelo Yahoo como o carro mais assustador da história da indústria automóvel. As suas linhas aerodinâmicas parecem o resultado de uma experiência realizada pelo Conde Drácula que correu mal, tentando cruzar um carro funerário com um Batmobile.

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

chegamos ao fim do mundo!


A convidada da Judite de Sousa de hoje na "Grande Entrevista" foi a Madalena Iglésias.
Para quem não sabe, é aquela cantora do século passado, inimiga figadal da Simone de Oliveira, que teve uma carreira importantíssima no panorama musical no nosso país, cujo único refrão que se lhe conhece é "Sei quem ele é, Ele é bom rapaz, Um pouco tímido até..."

Não se se alguém viu, mas a senhora pediu desculpa por estar ali, na semana seguinte ao Ministro das Finanças, mas convidaram-na e ela não tinha porque recusar, já tinha deixado o jantar feito para o marido e para os netos (pronto, esta parte do jantar foi o que eu sub-entendi ou, para ser mais correcta, acrescentei).

A senhora, que me pareceu de muito bem senso e com um elevadíssimo grau de realismo que nos faz gostar dela, quando em comparação com o tipo(a) que faz os convites para este programa da RTP1. Introduziu a sua entrevista dizendo que uma carreira artística simples como a sua talvez não merecesse tanta honra como a de ser entrevistada por uma jornalista (ou jornaleira, já nem sei) de tanto gabarito, mas que lhe faz lembrar muito bons momentos da sua, já distante, juventude e que vai ter muito gosto em responder às questões.

Viva a Madalena Iglésias, a pessoa mais lúcida da RTP!

E isto depois de, no Telejornal, terem dado a antestreia do novo 007, com direito a trailler, retirando, portanto, o protagonismo ao Mário Augusto.
O 007 catapultado a notícia digna de Telejornal...
Entre o 007 e o divórcio da Madonna, venha o rapaz, pois claro

Rendo-me. Chegamos ao fim do mundo.

Eu até nem gosto de Keane

Mas fiquei muito contente por saber que o nosso David Fonseca fará as primeiras parte dos britânicos em Madrid e Barcelona.

Porta grande para conquistar os espanhois ( e as espanholas ;) )

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Hoje estou...


... Damien Rice :)

nível de eruditismo



"As pessoas que frequentam o ciclo de cinema italiano são mais eruditas do que as que preferem o ciclo de cinema francês."

Esta magnífica cidade Invicta tem tido a sorte de poder entreter os seus habitantes com cinema de elevadíssima qualidade. Como é hábito, os cinemas Medeia (Cidade do Porto e Campo Alegre) brindam-nos com este tipo de eventos. Decorreu, na semana passada, o 9º ciclo de cinema francês e, ainda decorre (até 29 de Outubro), o ciclo de cinema italiano.

Tive a oportunidade de ver um filme em cada um dos ciclos. Ambos magníficos ainda que de géneros diferentes: "Toi et moi / Tu e eu" de Julie Lopes-Curval e "La finestra di fronte / A janela em frente", de Ferzan Ozpetek.

Não é que, depois do filme italiano terminar, ninguém, mas ninguém se mexeu para ir embora?... Apenas eu, esbocei um leve e discreto movimento de pegar no casaco, mas logo me detive e disfarcei para não me julgarem uma turista ocasional, daquelas pessoas que lá foi parar por acaso e que, nem sabem como, não reclamou por não haver pipocas à venda. Não, não queria que pensassem semelhante coisa de mim.
É que NINGUÉM se mexeu antes dos créditos do filme (vulgo "as letras") terminarem!!
Achei fantástico.

Já no final do "Toi et moi", ainda nem tinha passado a 2ª linha dos créditos, já havia pessoas de costas para o grande ecrãn. Eu não, claro. Outros...

Está tudo dito.

Desengane-se quem achava que a filmografia francesa significa erudição, ainda não viram nada!!

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

New York, New York (3)



22klaudia, 2008

The only city where the sky is not the limit.
Winka Dubbeldam, arquitecto

domingo, 19 de outubro de 2008

Desculpem este silêncio mas...

...tenho estado absorvido por explorar este projecto!

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

alhos e bugalhos

In http://www.publico.clix.pt/13Out2008

O que e que se pode depreender desta magnífica rubrica do Público?
Que há mais desempregados do que pessoas a trabalhar no estrangeiro?

2%, será mais ou menos que 16 milhões? ou é suposto eu saber qual a população global da Europa? Eu até leio os jornais, mas todos os anos "a Europa" aumenta e eu fico um bocado perdida nos números...

Deixa-me doida o facto de os jornalistas ou, melhor dizendo, de criadores de manchetes, frequentemente, misturarem formas de medida deliberadamente para induzirem uma certa opinião. Mas fazem a vigarice de forma muito evidente e o que é suposto ser credível, porque é objectivo, é, pelo contrário, imediatamente desmascarado. Ou será que a matemática para estes profissionais acabou no 9º ano e não dá para mais?
É que fico interessada - que é o efeito que eles pretendem produzir ao colocar um número - e depois não consigo perceber...!

domingo, 12 de outubro de 2008

New York, New York (2)



22klaudia, 2008

Times Square, center of the universe.

You have connections to the N, R, A, C, E, F, D, and Q train ...
Anónimo, condutor de metro em NYC

terça-feira, 7 de outubro de 2008

Musicoterapia

É conhecido o poder que a música tem no nosso bem estar. Muitas vezes temos problemas, estamos tensos, e utilizamos a música para descomprimir. Se isso é verdade na simples audição, mais ainda quando sabemos tocar um instrumento. Parece que os problemas se encarreiram e saem pelos nossos dedos a cada nota tocada, quais ratinhos do flautista de Hamelin...

Agora imaginem que o instrumento que tocamos é nada menos de que o carrilhão da nossa aldeia!...

Este é apenas um dos motivos para ir ver Bem-vindo ao Norte

domingo, 5 de outubro de 2008

New York, New York



22klaudia.2008

Once you reach Manhattan, you don't have to cross any more bridges.
Elisabeth Ernst, artista alemã

quinta-feira, 25 de setembro de 2008

...de passagem...

No Mentecapto tinha uma rúbrica em que citava invariavelmente o primeiro parágrafo da 31ª página do livro que estivesse a ler, mesmo que esta não tivesse nexo fora do contexto. Aqui começo uma rúbica, onde a passagem citada pode variar e vale por si.
Como não podia deixar de ser, começo por Mia Couto. Não tem nenhuma daquelas palavras genialmente inventadas, mas vale pelo timming da leitura (uma camarata com pelo menos meia-dúzia de nacionalidades). Aqui vai:

"Riem-se. Rir junto é melhor que falar a mesma língua. Ou talvez o riso seja uma língua anterior que fomos perdendo à medida que o mundo foi deixando de ser nosso."
in "Venenos de Deus, Remédios do Diabo" - Mia Couto

Tudo bem?


Tendo-me fartado de andar, movido por uma sede imensa em conhecer Dublin para lá dos roteiros turísticos, chegou uma altura em que o meu corpo pediu um break. Um cafezito com gente bonita, uma decoracao engraçada e um ambiente cozy pareceu-me o local ideal. Quando me desloquei ao balcão para ver que iguarias teria para me saciar o "ego", o dono sauda-me com "How are you doing?" que me pareceu tão cordeal como sincero, de quem deseja o bem estar do seu cliente. Com as pernas a latejar, aquele simples gesto soube-me bastante bem, o que me fez pensar como nós desperdiçamos esta saudação tornando rectórica aquela pergunta, sem nunca realmente a responder. É pena...

(ah! o tiramisu caseiro podia não ser o doce mais tradicionalmente irlandês que lá estava, mas soube muito bem....)

“Preços dos Combustíveis: assim não! Sábado 27: não se esqueça, não abasteça”, Deco

Não abastecer os veículos durante o próximo sábado é a forma de luta que a associação de defesa do consumidor Deco está a promover contra o preço dos combustíveis. O protesto ocorre depois de, nas últimas semanas, as petrolíferas terem sido acusadas de não reflectirem nos preços a descida das cotações do crude.

Com a campanha “Preços dos Combustíveis: assim não! Sábado 27: não se esqueça, não abasteça”, a Deco reivindica uma harmonização entre os preços dos combustíveis e as variações reais nos custos das matérias-primas. Segundo a associação, as petrolíferas aumentam de imediato os preços dos combustíveis quando se verifica um aumento do preço do petróleo, mas em casos de quebra as empresas “mantêm discricionariamente os preços”.

A Deco apela, por isso, à Autoridade da Concorrência (AdC) que desempenhe “com eficácia as suas competências de fiscalização e supervisão” do mercado, prestando atenção à evolução dos preços e contendo qualquer prática limitativa da concorrência.
In http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1343594&idCanal=57 -
22.09.2008 - 16h18
Lusa, PÚBLICO

No dia seguinte a es
te comunicado o JN noticia:

Eu tenho 2 coisas a dizer:

PALHAÇOS!!!

e

WE HAVE THE POWER!!

Provaram que respondem às atitudes do consumidor, que é como quem diz: têm medo...
e tenham, tenham muito medo porque, mesmo assim, não vão ganhar os meus ricos 55 eurinhos no próximo sábado!!

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Bar de Alterne?

Mo-I-Rana, Noruega (AFT 2005)

terça-feira, 23 de setembro de 2008

O piano desta vez não é na floresta

In http://cm-praiadavitoria.azoresdigital.pt/FileControl/GaleriaMultimedia/Imagem/vitorino_d_almeida.jpg

Na Casa da Música, hoje, às 19h30: "música no seu estado selvagem".

O homem é fofo, já para não falar que toca divinamente.
Mas adorei o horário, faz-me lembrar os países não mediterrânicos, em que a vida, para além dos afazeres profissionais, tem horários vespertinos. Gosto disso, juntamente com Sol alto às 8 da noite, claro!

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Acção contra as armas

In http://www.eupodiatamatando.com/wp-content/uploads/2007/09/macaco_pulp_fiction_segurando_arma.jpg

No âmbito da Campanha “Controlar as Armas”, a Amnistia Internacional lançou um jogo de computador online e a Secção Portuguesa elaborou um quiz onde podes testar os teus conhecimentos e atitudes perante as armas. Joga!

Eu tive entre 66 e 100.

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Kiss me, I'm Irish!

Como é, Pedro? Estamos à espera de um relato detalhado da experiência na terra das ruivas...

terça-feira, 9 de setembro de 2008

Why Europeans Don't Get It...

10 reasons why Europeans don't understand the McCain/Palin ticket is not dead on departure:

1. The American Voter does not live in New York City or Los Angeles. He/She lives in Pascagoula (Mississippi), Amarillo (Texas), Moscow (Idaho) and, of course, Wasilla (Alaska; hometown of Gov. Palin);

2. "We are not hypocrites. We are pro-life: against abortion, against euthanasia, pro-death penalty"

3. "Who cares if the USA has 30 times more gun-related deaths than the United Kingdom: the National Rifle Association is the largest lobby in Washington, DC and they give us a lot of money. Besides, guns do not kill people; people kill people."

4. Sarah Palin runs a family values-based campaign. Her 17 year-old daughter is pregnant and the boyfriend is the father. Again, no inconsistencies here: they are getting married.

5. John McCain is a candidate supporting change. As the slogan goes: "Change We Can Trust". McCain voted with Bush over 90% of times, but there is no contradiction here. After all, he voted against Bush almost 10 percent of times.

6. Let's build bigger, less fuel-efficient, SUVs to save American car companies. Wait... We need oil to operate them! No problem: oil companies can drill in Alaska. Oh yeah! This is a great plan to get us rid of foreign oil dependency... for about a decade.

7. The 18 million women who voted Hillary Clinton in the Primaries are now considering voting Sarah Palin because she is a woman. She will be an excellent grandmother, excuse me, Vice President, while devoting full attention to, and taking care of, her 5 children. Right... And I am Santa Claus. (I know, this is just plainly sexist...)

8. Sarah Palin is a hockey mom from Wasilla, Alaska. Europeans are ignorant: "What in the world's name is a hockey mom? Does that qualify you to be Vice-President?" (In Palin's own words: "What's the difference between a pitbull and a hockey mom? Lipstick!")

9. There were no weapons of mass destruction in Iraq, like the last Republican Presidential candidate said there would be, but... what we really care about is the economy, stupid!

10. A BLACK President called Barack HUSSEIN Obama. ARE YOU CRAZY?!?!?!

The guy that posted this is an ignorant. Please excuse him...

segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Google: de bestial a besta

(aproveitem a ler agora, não sei se este post vai ser censurado pela Google)



http://batatascombacalhau.files.wordpress.com/2008/02/google-is-evil.jpg

A propósito de uma notícia que saiu ontem no Público sobre a Google entrar no mundo da saúde: a Google Health!!

A Google propõe-se armazenar os dados do genoma de quem quiser pagar 1000$,e disponibilizar na net, para o seu médico poder adequar as prescrições. Já se sabe que o futuro da medicina passará por este nível de rigor - ainda bem, abaixo os antibióticos generalistas!, além de outras serventias muito interessantes.

A notícia fala também que esta magnífica empresa que desenvolveu o software que usamos para chegar até vós, leitores estimados, assim como o mais utilizado motor de busca e uma série de outras funcionalidades super úteis e fantásticas, já entrou no negócio do espaço (what ever that means).

Gostamos também da despretensão e da genialidade dos seus fundadores e do ambiente que, dizem, se vive na empresa (Great Place to Work).

Até aqui tudo relativamente inofensivo excepto se lermos a notícia até ao fim ;-) e pensarmos um pouco mais aprofundadamente sobre as implicações das ambições da Google.

A 1ª questão é que eles vão tirar o negócio do genoma a um amigo meu, e isso, por si, já me chateia.
2º, eles propõem-se ser o maior banco de dados e de suporte de informação do mundo, organiza-la e torna-la universalmente acessível e útil.

Ora, não obstante, um dos princípios deles ser 'não ser mau', não sei se com tanto poder, eles vão conseguir não fazer as coisas que lhes forem mais favoráveis, sem pensarem no restante da Humanidade. Monopólios aborrecem-me. Aliás, é por isso que eu tenho dado tão poucas notícias. Nas últimas semanas tenho que pedir a alguém para ir à net porque a empresa que tenho contratada para me fornecer esses serviços só conseguiu há pouco pôr isto a funcionar. Mas se ficar tudo bem, não mudo. Mas isso é para outro post.

Ou seja, estou baralhada. Ainda não sei bem o que significa a Google ser o maior banco de dados do mundo e ter acesso a isso tudo e, eu em particular, depender deles.

Just in case, acho que vou começar a explorar a Portugal Mail. Também têm mail, blog, são tugas, do Porto... só coisas boas. Ou voltar ao amigo Sapo, quem sabe...

Está lançado o 'réptil' para a discussão.

quarta-feira, 3 de setembro de 2008

Desacordo Ortográfico

Angra do Heroísmo, Terceira, AFT 2008

quinta-feira, 28 de agosto de 2008

sexta-feira, 22 de agosto de 2008

Reflexo da cidade

22Klaudia, 2008

sexta-feira, 8 de agosto de 2008

Hoje estou...


... amigo do Gaspar!!!

terça-feira, 5 de agosto de 2008

Hoje...

...este link faz 5 anos! ( engraçado, ver como na altura nem sabia que se podia alterar o texto postado....)

Data redondinha, hein? Tão redondinha que me pôs em reflexões diversas, sobre quem era, quem sou agora, quem me rodeou, quem deixou de rodear, quem valerá a pena continuar a rodear, quem encontrarei no futuro. Porque uma coisa é certa: blogosfera é comunicação, comunicação exige sempre pelo menos 2 pessoas (ou uma pessoa e uma parede, mas não vou por aí...), pessoas que não estão geralmente presentes mas que existem, e lhes sentimos afecto. Mesmo que anónimas.

Obrigado por tudo que me tem feito sentir nestes 5 anos!

quinta-feira, 31 de julho de 2008

E se ao Marco Martins ou ao Lionel Vieira...

...lhes desse para fazer um filme sobre José Sócrates ou Cavaco Silva, e o estreassem nas vésperas das campanhas eleitorais que se avizinham, portanto com o político ainda no poder?


Será que o tolerariamos como estou certo que o faremos com o "W" do Oliver Stone?
I don't think so!...

terça-feira, 29 de julho de 2008

Campanha ecológica?

Felizmente, um cada vez maior número de pessoas preocupa-se com a causa ecologista. E se nem todos o fazem por convicção, sabem pelo menos que é politicamente correcto demonstrarem-no publicamente.
Será rudimentar achar que, sabendo uma Organização de eventos como o Marés Vivas da semana passada que o grosso dos dejectos de um festival são basicamente garrafas,copos de plastico e pacotes de cigarros, esta vai ter a preocupação da equipa de limpeza do espaço ter práticas de reciclagem. Será que o fizeram? O facto do Festival de Oeiras patrocinado pela Delta ter-se vangloriado que o iria fazer, deixou-me a pensar que não seria pratica corrente...

Mas o que me traz aqui é ligeiramente diferente. Logo no primeiro dia do Festival, um partido político esteve a distribuir propaganda a quem se encontrava na fila para entrar. Parece-me óbvio que qualquer pessoa que aceitasse a propaganda, até ao momento que entrasse no recinto, teria lido tudo e sentisse necessidade de se descartar dela. Mas o partido politico pôs um ecoponto improvisado em algum local onde as pessoas pudessem deixar aquilo sem ser o chão? Nops...
O que me levou a pensar: com 3 campanhas eleitorais a caminho e o tema ecologia cada vez mais na ordem do dia, como vão os partidos políticos se comportar no que toca ao lixo reciclável que produzem? Farão como os fumadores para quem a sua beata que é deitada ao chão não é propriamente lixo?

sexta-feira, 25 de julho de 2008

Transe pré-férias


Se olharmos com atenção e durante uns segundos para a imagem ficamos com uma sensação tipo 'psicadélica' e policêntrica.
É sempre essa a sensação que tenho antes de férias

domingo, 20 de julho de 2008

Hoje estou...


Depois de 3 dias do Festival Marés Vivas, hoje estive a fazer os 14kms em bicicleta (em verdade foram 15kms, mas com 3/4 feitos a pé com a bicla ao lado) da edição deste ano do Porto Bike Tour.

Já não andava de bicicleta desde 1990, e portanto tinha receio sobre quão fidedigno era o ditado sobre a arte de nunca esquecer guiar uma. Em verdade, a ùnica adaptação que tive que fazer foi com o sistema de travagem. É que essa vez em 1990, foi em Amsterdam, numa bicla de aluguer que travava rodando os pedais em sentido inverso ao normal.
E habituar-me a usar, com a devida força, os travões de punho?

sexta-feira, 18 de julho de 2008

domingo, 13 de julho de 2008

Festival Marés Vivas

Recomendação para o excelente cartaz do Festival Marés Vivas, a ter lugar no próximo fim-de-semana, na cidade em que nasci e vivi durante 18 anos (Vila Nova de Gaia). O Pedro, meu co-blogger do Sofa Station, vai todas as noites. Eu, só poderei estar presente na primeira, uma espécie de noite para "cotas"...

Uma oportunidade para rever Peter Murphy, de quem não esqueço o fabuloso concerto que deu no Festival do Sudoeste em 2003 e que coincidiu com a apresentação do álbum Dust. Naquele tempo, o vocalista dos Bauhaus optava por uma sonoridade com fortes influências do Médio Oriente e, em particular, da Turquia. Agora, independentemente das influências musicais, vale a pena ouvi-lo pela sua voz carismática. Cuts You Up, um clássico:

Quanto aos Sisters of Mercy, até pensei que já não existiam. Muito marcados pelos anos 80, imagino que toquem sobretudo os grandes êxitos, como Temple of Love, This Corrosion, More e Lucretia My Reflection.

Sisters of Mercy - Marian

Os outsiders desta primeira noite são os Shout Out Louds, uma banda que a publicidade OPTIMUSou. Tonight I Have to Leave It, uma espécie de pastiche dos The Cure, é a única que conheço:

sábado, 12 de julho de 2008

Desperdício Cultural

Fui habituado desde pequeno a evitar o desperdício, pois "é deitar dinheiro fora, e a vida não dá para isso". Numa população mundial que caminha para os 7 mil milhões, a questão de escassez de recursos ganha novos contornos.
Nas visitas que faço à Fnac e a outras livrarias e discotecas, assalta-me muitas vezes um sentimento de profundo desperdício.
Não vou falar sobre a opinião se determinado músico ou escritor mereciam sequer gastar uma folha de papel ou um cd. Estamos numa sociedade livre, democrática, essa questão nem se põe.
Mas quando penso na quantidade de livros e CDs que passam meses sem serem vendidos, que são postos à venda a preço de custo para -literalmente- desampararem a loja e mesmo assim sem sucesso, na quantidade de stocks que as lojas tem que ter para acautelar de uma procura não satisfeita, mais o stock dos distribuidores, para não falar na produção de tiragens maiores para conseguir economias de escala, penso na quantidade de arvores que foram deitadas abaixo desnecessariamente, na tinta que podia ter sido poupada, na quantidade de acrilico que não era necessário produzir se houvessem menos CDs em circulação.
Por isso vejo com bons olhos a massificação dos downloads de música (sejamos politicamente correctos) pagos. Também por isso, fiquei contente com o aparecimento de maquinas capazes de imprimir um livro com capa e costuras em poucos minutos, gastando recursos à estrita medida do necessário.

sexta-feira, 11 de julho de 2008

Autismo, versão governamental

Ao ouvir o debate de hoje à tarde sobre o "Estado da Nação", interrogo-me sobre qual a razão que leva o Primeiro-Ministro José Sócrates a não responder às questões dos deputados da oposição... Já repararam? É absolutamente estupidificante ouvir aquelas respostas...

Francisco Louçã cita relatórios do Tribunal de Contas, dá exemplos da promiscuidade nas nomeações políticas para as empresas públicas e apresenta a evolução das estatísticas do desemprego ao longo do último mandato, o PSD invoca a alteração da conjuntura para questionar os investimentos públicos em infraestruturas e solicitar a apresentação dos custos e benefícios a elas associados, Paulo Portas lista as afirmações passadas que comprometem Sócrates, etc.

Da boca de Sócrates só ouvimos vulgaridades: desconversa, "chuta para canto", tregiversa, finge-se ofendido e chocado. Mas responder às questões... nada. Não há pachorra!!! Deve pensar que os portugueses são um bando de idiotas e ignorantes que se deixam convencer com aquela encenação. Se voltarmos a eleger aquele "senhor" para formar governo, temos aquilo que merecemos: alguém que sabe exactamente nada sobre coisa nenhuma e que se limita a decorar discursos e respostas devidamente elaborados por alguns acessores, que nem sequer são particularmente brilhantes.

quinta-feira, 10 de julho de 2008

Portugal: depressão estrutural?


Ainda sobre este tema, lembrei-me desta imagem. Ao contrário da àgua, que tende a fluir para o tanque mais vazio, as pessoas, em busca de uma vida melhor, próspera, tende a abandonar o tanque mais vazio e procurar o mais cheio.
Portugal era historicamente um tanque mais vazio do que outros tanques. Neste momento, o nosso país é é um tanque procurado. Não estou a dizer que sejamos o tanque mais rechonchudo do Mundo. Mas tenhamos perspectiva sobre este assunto.

terça-feira, 8 de julho de 2008

Ainda sobre Portugal e a situação de depressão estrutural ...

...estes gajos são capazes de ter umas ideias sobre o assunto!...


Se há programas que teria pena de perder na TV, este é um deles. Felizmente a RTP faz-nos o favorzinho de os disponibilizar na net :)
(também, ou era isso, ou acabavam por aparecer no Youtube...)

domingo, 29 de junho de 2008

Portugal

A Gotika, num dos seus muitos posts sobre a situação do país, desafia os leitores a escreverem sobre as razões pelas quais chegamos aqui, isto é, à situação de depressão estrutural e beco sem saída na sociedade portuguesa.

Parte I

Este comentário começa há mais de 500 anos atrás…

Não sou historiador, mas já li o suficiente sobre história para compreender que as opções que se fazem ao longo da vida influenciam o que somos e o que nos tornamos. Se um adolescente com 18 anos é confrontado com a hipótese de roubar ou não roubar um automóvel, a opção escolhida determina, por vezes de modo decisivo, o seu futuro. Assim aconteceu, segundo me parece, com o nosso país. Em Portugal, a expansão colonial foi largamente moldada pelas escolhas da Coroa, ao ponto do Estado se designar como Patrimonialista: todos vivem à custa do Estado e não há diferença entre o património do Estado e os bens privados do Rei. Quando algum nobre mais aventureiro se propunha fazer uma viagem, o Rei financiava toda a empreitada, minimizando o risco, no sentido económico do termo. E foi assim que aprendemos a viver à custa da Coroa. A nobreza, o clero e, mais tarde, a burguesia cresceram à sombra do Estado. Enquanto os holandeses criavam companhias comerciais com investimentos privados, cujo risco era suportado essencialmente por particulares, os portugueses mantinham a sua relação de quase filiação com o Estado.

Fast forward para o século XX…

É habitual fazer-se a comparação, absurda diga-se, entre ditaduras de direita e de esquerda. Em termos de crueldade, não há diferenças entre Hitler e Estaline. Mas existe uma diferença crucial entre o salazarismo português e o comunismo da Europa de Leste. Enquanto, em Portugal, a população era mantida na mais penosa ignorância por parte do poder político, a generalidade dos países do Bloco de Leste (talvez com a excepção da Albânia) prosseguia campanhas de alfabetização das massas, que conduziram a taxas de escolarização superiores a 80%. Esta diferença explica quase tudo, mas é sobretudo útil para compreendermos porque razão estes países se desenvolvem agora tão rapidamente, ultrapassando Portugal a toda a velocidade. Esses países optaram pelo sistema económico “errado”, mas essa escolha revelou-se substancialmente menos penalizadora do que a “nossa” escolha “errada” de manter o povo na ignorância. Se quase todos os ex-países comunistas têm demonstrado que a transição para o capitalismo pode ser feita de modo suave, Portugal atesta também que a transição para uma sociedade com elevados standards educacionais e cívicos só pode ser suave, ou melhor dito, lenta. Em parte, só nos resta esperar…

Parte II

Quando escrevi Sabes, gostava de ter mais alunos/as como tu, mas, em vez disso, apanho com a massa amorfa que essa geração que tanto criticas educou”, não estava a lamentar a falta de qualidade dos alunos. Sou professor há 14 anos e, ao longo deste período, sempre tive alunos dedicados, alunos preguiçosos, alunos assim-assim, alunos geniais (uns 3 ou 4 levaram 19 valores) e outros que nunca deveriam ter entrado na universidade. Tenho assistido a um decréscimo na capacidade de expressão escrita e a uma alarmante diminuição da cultura geral dos alunos. Na minha disciplina de Políticas Públicas, cheguei a ter fervorosas discussões sobre as escolhas políticas dos nossos governos, com alunos que estavam informados e eram excelentes a argumentar. Hoje em dia, só nas aulas de Mestrado… Mas, nem tudo é negativo. Verifiquei ganhos substanciais na relação com a tecnologia e uma diminuição da dificuldade em aceder aos professores, também por abertura destes. Mas não é sobre isto que me lamento quando menciono a “massa amorfa”. O problema é mais profundo do que isso.

E aqui volto ao início…

É tudo uma questão de risco. Tal como os nossos antepassados, que aprenderam a depender da Coroa, a geração actual tem muitas dificuldades em “assumir o risco”. Neste aspecto, a vista de Lisboa é mais positiva do que a vista do Minho. Alguns exemplos. Uma das alunas mais brilhantes que tive oportunidade de acompanhar, e que vai terminar o curso este ano com média de 17 valores (a melhor de sempre nessa licenciatura), recebeu uma excelente proposta para tirar o doutoramento no Extremo Oriente. Recusou, sem ter qualquer outra proposta. Uma outra aluna concorreu a uma multinacional que se vai estabelecer em Angola e precisava de quadros qualificados. Recusou, sem qualquer outra proposta. Tenho outra aluna de Arcos de Valdevez que lamenta que Braga seja tão longe… a 40 km!

E este é o meu dia-a-dia: tentar alargar os horizontes desta geração. A geração actual tem problemas em arriscar, e muitos dos seus membros são filhos de ex-emigrantes em França, na Suíça, etc., o que torna isso ainda mais incompreensível. Muitas pessoas que moram em Lisboa referem-se ao resto do país como “a província”. Fico revoltado quando ouço essa afirmação, mas penso que, de forma acidental, acabam por ter razão.

Já fui director de uma licenciatura. Agora, voltei a ser simplesmente professor. Tenho mais tempo para dedicar a esta cruzada. A geração actual não se pode conformar. Se não encontram emprego por conta de outrem, têm de ser eles próprios a criá-lo. Recebem ofertas para trabalhar no estrangeiro e o seu inglês não é grande coisa? Aprendem com o tempo e no próprio local. Mas nada se faz sem sacrifícios e sem assumir o risco. E é disto que eu me queixo. Quando surgiu a oportunidade de tirar doutoramento nos EUA, deixei pais, namorada, amigos e fui sem olhar para trás. Tenho alunos bem sucedidos, a trabalhar por conta própria, a fazer pós-graduações no estrangeiro, a trabalhar em Angola, nos EUA, por toda a Europa (sobretudo em Espanha), em grandes empresas em Portugal. Mas todos estes têm algo em comum, que não vejo na maioria: arriscaram e estiveram dispostos a sacrificar o seu bem-estar para evitarem ser mais um número nas estatísticas do desemprego.

Gotika: Aprecio muito as pessoas que nos obrigam a pensar. Nunca deixes de o fazer…

Um agradecimento à música que contribuiu para este texto: Coco Rosie, Wim Mertens e Brian Eno.

quarta-feira, 25 de junho de 2008

É tudo uma questão de contexto...

Digam-me um coisa: se vocês morassem numa zona com um cluster de disputecas (bares de alterne, se preferirem, são pelo menos 10 num raio de 5 minutos de distância...), chegavam a casa e encontravam a seguinte publicidade em tons rosa:

De que pensariam se tratar? Miminhos Especiais....;)

Pois, afinal os serviços são bem mais prosaicos...
Aqui está o link, caso estejam interessados...

terça-feira, 24 de junho de 2008

Como explicar a um estrangeiro?

http://jornal.publico.clix.pt/, 24.Jun.2008
Comecei, toda contente, a explicar que na minha cidade ha' uma festa muito interessante, mostrei a foto do jornal e quando me comecaram a fazer perguntas percebi que nao conseguia explicar o quao interessante e divertido pode ser.
Never mind...

sexta-feira, 20 de junho de 2008

Outras paragens

AFT 2005

quarta-feira, 18 de junho de 2008

Perseguir pavimentos

ACR 2008

quarta-feira, 11 de junho de 2008

Confissões

Numa altura em que a Igreja Católica era hegemónica e inquestionável, era prática de qualquer cidadão visitar a Igreja a fim de se confessar e procurar o perdão divino, mas na prática desabafar com uma pessoa mais-ou-menos estranha, coberta por algum anonimato, pessoa essa a quem reconheciamos uma certa elevação intelectual e moral.
Embora ainda maioritária na sociedade portuguesa, a Igreja Católica perdeu para muitos essa função, entre outras.

Estava no fim-de-semana a teclar com alguém que conheci num portal social - e que ainda não conheci pessoalmente - e apercebo-me como o que me é dito me soa acutilante e preciso sobre uma situação que me preocupava.
E apercebo-me que estou a falar com alguém que tem a distância suficiente para ser imparcial e que em termos de elevação intelectual e moral, ainda está em processo de "certificação", mas no bom caminho.

Fica-me a faltar é o perdão divino.....

segunda-feira, 2 de junho de 2008

Gula literária


No sábado à tarde fui à Feira do Livro, como de costume desde que me conheço, e tenho aqui que fazer uma confissão: sofro de gula literária.
Sei que é feio, é até considerado pecado mortal, mas não há volta a dar-lhe: é a mais pura verdade!

O conceito implica estar engajado na leitura de um ou mais livros, ter vários outros a aguardar vez na mesinha de cabeceira, ter outros ainda em estantes várias também em pose paciente de espera e ir à Feira do Livro e comprar mais alguns.

É uma espécie de ter mais olhos que barriga, mas com livros.

É querer sempre alguma coisa mais.
É estar a ler um livro e querer ler o que se acabou de comprar, só porque é mais recente. É uma avidez quase doentia e, em mim, muito dificilmente controlável.

Não acho normal.

sábado, 31 de maio de 2008

Sobre o Dia Mundial da Criança de amanhã...

... descobri a crónica de Fernando Alvim no Metro de ontem, com o título:
"O melhor do Mundo não são as crianças. É o Cristiano Ronaldo"
E reza assim:
"Dizem-me que o melhor do mundo são as crianças e eu sinceramente não acho nada. Há coisas melhores no mundo, como por exemplo, esparguete à bolonhesa, as cataratas do Niagara e queijo flamengo e, além disso, o melhor do mundo é, como toda a gente sabe, o Cristiano Ronaldo, que não é propriamente uma criança.

As mulheres tendencialmente dizem gostar muito de crianças e chamam a si uma maior afinidade que advém - dizem - do facto de terem nove meses de avanço em relação aos homens. E depois, passam uma vida inteira a dizer em tom depreciativo que os homens se portam como verdadeiras crianças. Esperem lá: não são justamente as mulheres que dizem gostar tanto delas? Que lhes desculpam tudo e mais alguma coisa? Que afirmam de forma peremptória que estas são a melhor coisa do mundo? Ora, sendo assim, porque raio é que, quando nós os homens as imitamos somos tão criticados? Ser criança não é tão bom? Então porque nos censuram em vez de nos fazerem Nestum com mel?

Eu não gostava nada de ser criança e via o mundo dos adultos como um objectivo a atingir o mais rapidamente possível, na esperança de ainda ir a tempo e jogar na bolsa e comprar acções da EDP. O pior que me podiam fazer enquanto criança era terem conversas ao meu lado, falando sobre mim e convencidos de que eu não percebia patavina do que diziam. Lembro-me bem da minha mãe dizer a uma tia minha: "Este meu filho nasceu muito tortito. Não seria melhor doá-lo à ciência para fazerem experiências?". Ao que a minha tia respondeu: "Não faça isso. É muito melhor vendê-lo". O que, felizmente, num caso ou noutro, nunca viria a verificar-se, pois sob nenhuma das formas me aceitaram.

Gostei de ser criança, foi muito bom, roubei maçãs, beijos e vasos das varandas, mas não voltaria a ser criança nem que me pagassem um jantar no Gambrinus. Esperem lá, no Gambrinus se calhar até pensaria duas vezes, mas de outro modo não voltaria de coisíssima nenhuma porque é muito chato comer sopa de espinafres só porque dá força, peixinho que tem muito ferro, creme de cenoura que faz muito bem aos olhos, laranja que tem vitamina C, usar sempre o chapéu - normalmente uns amarelos de uma conhecida marca de tintas - porque podemos apanhar uma insolação, deitarmonos depois da previsão metereológica para o dia seguinte, não leias no carro que podes ter uma deslocação de retina, não ponhas a cabeça de fora do vidro e, o pior de tudo, cortarem-nos o filme na melhor parte só porque, e passo a citar: "Estes filmes não são para a tua idade". E depois disto, é perfeitamente natural que exista um Dia Mundial da Criança. Eu estou incondicionalmente do lado delas."

Este gajo não existe!

(agradeço ao Mustek que teve a mesma ideia que eu, mas mais cedo e me poupou de tamanha transcrição...)

quinta-feira, 29 de maio de 2008

always look at the bright side of life.....

De há uns tempos para cá, à medida que o preço da gasolina tem vindo a subir, tenho optado por uma condução mais defensiva. Não que fosse gajo de deixar marcas dos pneus nos semáforos, mas sei que se por exemplo mantiver-me abaixo das 3000rpm, e reduzir a velocidade uns 20-30 kms/h, chego um bocadinho mais tarde ao destino mas o consumo agradece.

Todos sabemos que as Autoridades Rodoviárias insistem que as principais causas de sinistralidade são o àlcool e o excesso de velocidade.
[Eu discordo, pois estes apenas reduzem a capacidade e tempo de reacção, quando as causas são falhas de condução +/- graves (nem sempre do próprio), estado do piso, estado da viatura, etc...]
Mas indesmentível é que um abstémio que ande mais devagar tem mais probabilidade de evitar um acidente ou minimizar os seus danos.

Ora, se todos fizerem como eu e reduzirem a velocidade para poupar, a sinistralidade tende a diminuir, o que é bom!
Afinal o Governo pensa mais longe quando mantêm a actual carga fiscal sobre os combustíveis!

(Nota: eu não sou favorável à sua redução. Apenas gostaria de ter mais certeza que a fiscalização sobre a formação dos preços está a ser rigorosa.)

quarta-feira, 28 de maio de 2008

Weird is Good!

É sempre um prazer ser surpreendido. Ontem à noite, no Theatro Circo, Coco Rosie fizeram exactamente isso. Um piano, uma guitarra acústica, uma harpa, uma voz operática, uma beatbox humana e uma tonelada de instrumentos não convencionais conduziram a um concerto excepcional.

Aqui fica uma amostra de um dos favoritos da noite. By Your Side, um tema sobre a ténue linha que separa o amor obsessivo da violência doméstica. A primeira versão é idêntica à tocada ontem no Theatro Circo, ao passo que a segunda é acústica.



domingo, 25 de maio de 2008

O que estamos a fazer às nossas crianças?

Ontem passei uma parte descomunal do dia numa grande superfície. Daquelas que é capaz de moer o juízo a qualquer adulto.
Uma das minhas maiores incógnitas enquanto adulto sem filhos é saber porque é que país e famílias persistem em levar as suas crianças para sítios destes, quando todos sabemos - acho - que a sua paciência para coisas chatas e enfadonhas é infinitamente inferior a de um adulto e que mais cedo ou mais tarde vai haver rezinguice, choro, aquelas coisas que tiram a paciência a qualquer adulto, paciência essa que já está à prova pela permanencia naquela gigante loja cheia de gente.
Não haverá us avós, uns amigos, uns vizinhos caridosos que brinquem um pouco com a criançada enquanto os país se tentam safar num instante?

Mas nem é esse o tema do post, porque esta loja até dispõe de, não um mas vários, sítios de passa-tempo infantil. Aliás, foi precisamente na próximidade de um desses postos que vi mãe e filha de mão dada quando ouço a filha dizer "ali está uma casa para se brincar", palavra-passe para ter autorização de soltar a mão e desatar a correr.
Mas 'pera... esta não é a voz típica de uma criança de 3-4 anos....
Esta é a voz, a entoação, o ritmo, a pronúncia, de uma qualquer locutora de banda-desenhada, reproduzida na perfeição pela criança de uma forma que me meteu medo, muito medo!

sábado, 24 de maio de 2008

quinta fui ver ...

...o senhor com um instrumento esquisito na boca. Aqui, com o vibrafonista Gary Burton, tocam a banda sonora de um dos meus filmes favoritos.

No concerto, não teve o Gary, nem tocou esta musica, mas teve um violinista que cantava e um percursionista capaz de histerizar o público. Ah! E tocou acordeão, como só o mestre Piazolla sabia fazer :)

More Elevator Music

A propósito do post anterior...


terça-feira, 20 de maio de 2008

Elevator Music


Aquele
filme que não estava disponível, do Pangea Day (o meu preferido).
É uma lição de convivência num mundo com muita diversidade num minuto e meio.

Música no elevador!

segunda-feira, 19 de maio de 2008

Parabéns, Pedro!

Caro Amigo e co-autor,

Para além de votos de um feliz aniversário e muitos anos de vida, gostaria de lembrar-te que somos amigos há 18 anos, pelo que temos de aproveitar esta ocasião para celebrarmos a maioridade da nossa amizade.

Como proprietário de um novo imóvel, desejo-te um ano igualmente inspirado para a decoração de interiores ;-)

Um abraço amigo,
Fernando

PS: Se não sabem o que oferecer como prenda, deixo-vos aqui uma sugestão: tudo o que possa ajudar a decorar o novo lar é uma prenda bem-vinda!

domingo, 18 de maio de 2008

Como te chamas?

(reprodução de uma conversa que tive esta semana, com os nomes alterados)

- Boa tarde, posso falar com a Filomena?
- Está ao telefone, aguarda?
- Não é necessário, dê-me o e-mail novo dela, sei que vocês mudaram os endereços todos, ela depois responde-me.
- Sim, sim. Acho que é Filomena Silva...
- Com ponto no meio? Mas, nao era Filomena Gomes?
- Espere lá, ela desligou, vou-lhe passar e ela dá-lhe.
...
- Olá boa tarde, é Pedro da XPTO, Lda, diga-me uma coisa: casou-se? É que estava a pedir o seu e-mail novo, e a Andreia estava a dar-me filomena.silva e eu tinha aqui o antigo como filomena.gomes....
- Não, divorciei-me... fui casada 20 anos, este é o meu nome de baptismo.


(o silêncio, o embaraço, eu quero um buraco para enfiar a cabeça, JÁ! )

É o mal do meu serviço: lido com fornecedores e clientes por telefone, e-mail e fax há anos e poucos são os que conheci presencialmente. E com base na voz, no teor da conversa, conceptualizamos personagens. a Filomena desta história, pela sua jovialidade, imaginava-a com 26/27 anos. E arrisquei a graçola, que me correu mal :S

Mas isso deixou-me a pensar: porque raio as pessoas, ou melhor dizendo as mulheres, adquirem o nome de família do seu marido? O casamento transmuta-as? Aos homens não lhes é exigído tal violência...
Eu, pelo menos, se um dia me unir a alguém, não espero que esta altere mais de si do que metade do caminho para uma convivência saudável, muito menos o seu nome!

sábado, 17 de maio de 2008

O lixo a quem o produz

Há uns tempos atrás, soube que a Suiça tem um sistema engenhoso de gestão de lixo.
O material reciclável, colocado nos locais próprios não paga nenhuma taxa. Por oposição, o lixo não reciclável só pode ser depositado em sacos que os cidadãos compram às Autoridades Locais. Esta é uma forma de incentivo claro à reciclagem, pois quanto menos tiver que ir para as sacas pagas, melhor. Óbvio, o sistema só funciona, porque há uma rede bem montada de inspectores de caça ao infractor que colocou o lixo numa saca não autorizada, chegando ao ponto de vasculhar o lixo deixado e usar técnicas que conhecemos do CSI para identificar e multar os infractores.



Tudo isto me veio à memória quando soube da existência de 2 enormes bolsas com lixo no Oceano Pacífico. Especialistas avaliam que 20% deste lixo provem das plataformas petrolíferas e de navios que cruzam o Oceano. Por outras palavras, 80% desta alarvidade foi dejectada pelos Países cuja costa o Pacífico banha. E, pelos padrões de consumo (e muito concretamente, por sinais tangíveis como as embalagens e etiquetas) até não deve ser assim tão difícil adivinhar quais os principais responsáveis!
E serem efectivamente responsabilizados e obrigados a resgatar todo este lixo, por forma a reconstituir-se o eco-sistema marinho local e devolver àquela fracção do Pacífico o seu papel de estabilizar o cada-vez-mais-frágil equilíbrio ecológico global.
(atendendo que 90% deste lixo são plásticos, logo reciclável, seria matéria-prima a custo do seu resgate)


Eu sei, sou crente... :S

sexta-feira, 16 de maio de 2008

2008 começou bem


http://pftv.sapo.pt/16/21/?v=fIZR8v8pDYMSBMk6Gyz5

ilustra um pouco como têm sido e vão ser as próximas 2 semanas da minha vida, o que é bem bom, é que é um conceito muito elástico...
bom fim-de-semana para vocês!

já agora, ficam a saber que, apesar de esta sensação não ser partilhada por todas as almofadas deste sofá, este foi, para mim, um dos momentos mais altos deste ano, mesmo tendo sido logo no início, não vou esquecer:

eu vi as Doce ao vivo!

quarta-feira, 14 de maio de 2008

novo record

http://galizacig.org/imxact/2004/10/petroleo_coche.jpg

Para mim, o 1º marco histórico no valor do barril do petróleo, foi quando atingi os 50 euros ao atestar o depósito.
Hoje, um novo marco histórico: 58 euros!
Onde é que isto vai parar??
Uma ambientalista, de trazer por casa, é certo, mas convicta, a achar que os bio-combustíveis iam salvar o mundo, afinal, não. Sendo o nível de emissões de carbono dos combustíveis fósseis o que despoletou toda a polémica do aquecimento global...
O que é que fazem? Aumentam os preços para que as pessoas sintam o peso do preço e gastem menos combustível e assim, diminuem as emissões de carbono para a atmosfera? Mas e o preço de tudo que sobe, principalmente o da comida e o dos transportes (para ir trabalhar e ganhar dinheiro)?
Sinto-me um bocado perdida...
Para já, vou separando o lixo e guardando tampinhas para entregar na Misericórdia de Vila do Conde. Acho que o próximo passo vai ser comprar a bicicleta.
Não estou a perceber como é que o mundo vai resolver esta questão.

Parece que foi há 23 anos


Cortesia de PM


Foi em 1985, era pela fome na Etiópia e o Michael Jackson ainda era preto...


segunda-feira, 12 de maio de 2008

E ao contrário da Claudia com o Holmes Place...

....Nada como ter uma coisa para a menosprezar!...

É um bocado idiota este sentimento, mas a verdade é que eu devia estar a festejar e não estou.
As obras da minha casa demoraram uma eternidade. O processo desde a decisão de remodelarmos a casa até o ínicio das obras já tinham demorado 2 ou 3 eternidades....

Agora que a casa ficou pronta, parece que fiquei sem um objectivo a conquistar, a ideia de fazer 1, 2, 10.000 festas de inauguração já não me parece assim tão boa.

Desculpem, foi só um desabafo, isto passa...

domingo, 11 de maio de 2008

Pangea Day

Tive oportunidade de participar no grande Pangea Day dada a capacidade organizativa e mobilizadora que o meu amigo LL tem: um grande Bem Haja, para ti!

O Pangea Day decorreu ontem, dia 10 de Maio, entre as 19h e as 23h GMT+1 e foi um evento planetário, em nome da PAZ e do DIÁLOGO INTERCULTURAL. Todo o mundo, via internet, esteve conectado para ver 24 mini-filmes escolhidos pela sua capacidade de inspirar, transformar e ajudar-nos a ver o mundo através dos olhos de outras pessoas (muito bem explicado no blog E foi naquele jantar) .

Making a long story, short: foi um Live Aid na internet com filmes e algumas músicas.

Tenho a dizer que foi, de facto, inspirador. A possibilidade de ver e ouvir o mundo pelos olhos de outras pessoas, noutros contextos, e na 1ª pessoa... gets to you!

É verdade que nos mostrou o que já sabemos e o que até intuíamos, mas ver e ouvir... Conclusão: the world sucks, mas HÁ ESPERANÇA!
E que começa em cada um e na tolerância e respeito que se tem que ter pelas diferenças. Todos sabem isso, mas a visão dos mini-filmes permite-nos concluir que há muita gente a não praticar.

A maior parte dos filmes que passaram estão disponíveis aqui.
Deixo alguns dos que vi e mais gostei, com os meus próprios títulos. Podem escolher a língua das legendas.
(Atrevo-me a sugerir que não os vejam seguidos se estiverem perto de uma janela num prédio alto, é que vos pode dar para a depressão...)
Jogar volei na fronteira México / USA
Perspectivas diferentes
Quando os estrangeiros chegam a casa
O amor no metro
O que foi o Líbano
As pessoas são o mais importante (este arrumou comigo)

Afinal não consegui escolher muito, na página principal, podem ver todos...

PS1: Há um filme de um tuga (Luis Manuel Almeida) que, de entre os mais de 2500 a concurso, ficou seleccionado nos 24 melhores, mas é o único que é necessário pagar para ver.
PS2: Para quem esteve Chez LM, o do elevador não está disponível

quinta-feira, 8 de maio de 2008

fui multada!!


Foi a 1ª vez na minha vida que fui multada com razão e o admito!

Tenho sucessivamente sido multada com base em razões legais, mas imorais. E esses factos causam-me sempre indignação, aliás todos os meus amigos, e os próprios polícias, que me autuam ficam a saber que discordo e a razão, devidamente fundamentada.

Essa indignação dá sempre direito a uma sensação de superioridade moral às figuras de autoridade que representam a Lei de forma indiscriminada e descontextualizada. E à respectiva história, contada com pormenor, à volta de uma qualquer mesa.

Hoje, não posso!
É que nem discuti com o Sr. Agente. Nem senti que tinha algum tipo de ascendente moral sobre a situação porque, o que fiz, é ilegal e injustificável.

Afinal, pior que ser multada, é não poder refilar...